terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Febre Amarela em São Paulo - Postado por Jairo Len

A questão da febre amarela mais uma vez volta às manchetes em São Paulo e no Brasil.
E, claro, o corre corre atrás da vacina já começou.

Todos que me acompanham sabem que sou 100% a favor de vacinas, e a vacina contra febre amarela é uma delas.

Acho que toda a população deve ser imunizada, desde que esteja nos grupos etários e todas as demais pré-requisitos da vacina (como por exemplo ter mais de 9 meses de idade e estar saudável).

Mas como faremos que agora a vacina não está mais tão disponível à vontade?

Vamos lá: houve casos da doença, que é importantíssima, na grande São Paulo (inclui municípios ao redor. Todos os casos em humanos aconteceram em pessoas que estavam em área de risco máximo: matas fechadas aonde houve casos de macacos infectados, um muito próximo dessas áreas.

No Horto Florestal e arredores (Zona Norte), por exemplo, não houve nenhum caso relatado em humanos. Nem nos arredores do Parque Ecológico do Tietê.
A Secretaria de Saúde tomou medidas rápidas de bloqueio, e me parece que houve sucesso, a priori. Tivemos casos em Mairiporã.

Não houve casos em área urbana em São Paulo.

Deste modo, a meu ver quem não é morador de áreas muito contíguas a esses pontos (com morte de macacos), não tem que se estressar em correr para receber a vacina. Quem mora por perto deve ser vacinado com rapidez.

E aos poucos, todos devem tomar a vacina - porque realmente não é uma certeza que estaremos isentos de casos em humanos na cidade de São Paulo. 

Se for viajar, cheque se no destino é uma área com casos em humanos ou com macacos infectados. Se for, duas opções: ou esteja vacinado, ou não vá.
Lembrando que, assim como nos protegemos da Dengue e Zika, todas as medidas para se evitar mosquitos são importantes.

VACINA PARTICULAR ou NOS POSTOS DE SAÚDE?

Nas clínicas particulares não temos a vacina. A Sanofi, laboratório francês que importa e de quem exclusiva e diretamente compramos, não tem o produto. Previsão da Sanofi: só no fim de março de 2018.

Nos postos a vacina está disponível, com certas restrições de distribuição e filas homéricas. Para algumas faixas etárias, a dose é fracionada: menor e com validade de 8 anos. Tanto faz. Menores de 2 anos sempre recebem a dose inteira.
Lista dos postos, endereços e horários de funcionamento: clique aqui (link externo)

JÁ TOMEI A VACINA HÁ ALGUNS ANOS

Quem já recebeu uma dose da vacina não precisa ser revacinado. A vacina aplicada em dose completa tem validade para a vida toda, e não só por 10 anos, como era a regra antiga.
Adicionar legenda


Post atualizado em 19/01/2018




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.